segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Quem se infiltrou na Academia?


Pode dizer-se que 2007 vai ficar, na história do cinema, como o ano em que a maior parte das estatuetas ficou bem entregue. O Fusco deixa alguns apontamentos após uma noite bem dormida.
El Laberinto del Fauno (O Labirinto de Fauno), do mexicano Guillermo del Toro, foi o vencedor surpresa da noite, com a brilhante conquista de três estatuetas (Direcção de Arte, Maquilhagem e Fotografia). O reconhecimento do cinema fantástico como um género maior.
Little Miss Sunshine (Uma Família à Beira de um Ataque de Nervos) ganhou duas estatuetas, uma delas numa das mais importantes e prestigiadas categorias: Argumento Original. Uma lufada de ar fresco entre mega-produções, num filme que vem trazer um novo alento ao cinema independente. Sem dúvida, um dos melhores filmes de 2006.
Forest Whitaker ganhou com um filme menor (The Last King of Scotland - O Último Rei da Escócia) aquilo que deveria ter ganho antes com Bird ou Ghost Dog. Veja-se a coisa como um prémio de carreira, aliás bem merecido.
O excelente Das Leben der Anderen (As Vidas dos Outros) ganhou merecidamente o oscar para melhor filme estrangeiro. Um hino à humaninade em tempos onde o medo impera.
Babel foi o grande derrotado da noite, conquistando apenas o oscar de Melhor Banda-Sonora. Para o Fusco, a justiça foi feita. Um filme destes, já devia agradecer aos deuses da sétima arte por estar entre os cinco candidatos...
The Departed (Entre Inimigos), do genial Martin Scorsese, foi o vencedor maior da noite, conquistando quatro estatuetas: Montagem, Argumento Adaptado, Realização e Melhor Filme. Finalmente, um dos maiores expoentes do cinema vê reconhecido o seu talento. Não foi com Raging Bull ou Goodfellas, mas com este The Departed. Que, aliás, é um excelente filme, bem melhor que o original de Hong Kong. Muitos parabéns Martin!!!
Confira aqui a lista completa dos vencedores.

2 comentários:

ceição disse...

O martin está de parabéns e vai deixar de ouvir nos elevadores a injustiça que era ainda não ter um daqueles bonecos! O argumento da "Famíla..." é brilhante e em sua homenagem, estou à espera de poder pendurar um poster em casa, num dos sitios onde a loucura da minha famíla mais explode!

Lusco Fusco disse...

:)