terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

Tropeçaram num efrit


Com «Funeral», os Arcade Fire tornaram-se a maior banda de índios do mundo. O disco ocupou as preferências de muitas publicações musicais um pouco por todo o planeta, o mito cresceu e a espera tornava-se dolorosa.
«Neon Bible», que chega às lojas nos próximos dias, é o sucessor de um disco imaculado. Se com «Funeral» se passeava num mundo de sombras negras e almas destroçadas, onde violinos choravam entre lamentos e lágrimas, em «Neon Bible» respira-se um desejo de fé e uma vontade de acreditar que o mundo se vai tornar num sítio mais feliz.
Os Bloc Party falharam. Os Kaiser Chiefs enfiaram-se num buraco negro. Os Arcade Fire, com o peso do mundo sobre os ombros, oferecem-nos mais uma obra genial. Provavelmente, quando passeavam numa planície canadiana, tropeçaram numa lâmpada mágica libertando de uma longa hibernação um efrit bondoso que lhes ofereceu três pedidos. Dois já se realizaram. Falta apenas o terceiro desejo: mais um disco de suster a respiração, daqueles que nos fazem acreditar que a música é mesmo a melhor coisa do mundo. Os Arcade Fire estão de volta, longa vida aos Arcade Fire!

1 comentário:

ceição disse...

por enquanto ainda só ouvi a amostra que eles têm para nós! mas agora fiquei a contar os dias para ouvir e ter o prazer da genialidade, que realmente é só de alguns!